Uma análise sobre o Amor (parte 1)

 
1 Coríntios 13:4-7 é a descrição mais detalhada do que é e o que não é o amor. Assim lemos:
 
"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta." (1 Coríntios 13:4-7)
Abaixo tentaremos examinar mais profundamente cada coisa que o amor é e cada coisa que o amor não é.

i) "O amor é paciente" (1 Coríntios 14:4)
O termo "paciente" é um verbo grego "makrothumeo" que é composto das palavras "makros" que significa “longe” e "thumos" que significa "raiva", "ira". Em outras palavras, "makrothumeo" significa "afastar-se antes que você fique irado.1" e é o oposto de “temperamento curto". "Makrothumeo" tem mais o significado de ser paciente com as pessoas do que ser paciente com as situações, pois ser paciente com as situações há outra palavra em grego que será usada mais tarde na mesma passagem de 1 Coríntios. O amor não se irrita com as pessoas facilmente, não perde a têmpera, mas permanece paciente.

ii) "Amor é bondoso" (1 Coríntios 14:4)
Outra característica do Amor é a Bondade. A palavra em grego para "bondade" é o verbo "chresteuomai" que é usada apenas aqui no Novo Testamento. Contudo, é usado muito poucas vezes, em duas outras formas. Um é o adjetivo "chrestos" enquanto o outro é o substantivo "chrestotes". "Chrestos" significa "bom, gentil, benevolente, benigno, ativamente benéfico apesar da ingratidão." Comsequentemente, "chresteuomai" significa mostrar sua própria bondade, isto é, ser gentil, bom, benévolo, mesmo que seja confrontado com ingratidão.

iii) "O amor não é invejoso" (1 Coríntios 14:4)
A palavra "inveja" que é usada nesta passagem é o verbo grego "zeloo". O substantivo correspondente é "zelos". "Zeloo" e "zelos" são ambos usados no sentido bom e no mal. No bom sentido é usado no sentido de zelo, ardor. Assim, por exemplo, em 1 Coríntios 14:1 somos chamados a perseguir o amor, e desejar [zeloo] as coisas do espírito. Contudo, zelos e zeloo são mais usados no sentido negativo. Neste sentido zelos significa inveja, ciúme. Tiago 3:14-16 esclarece as consequências e fonte do ciúme:

Tiago 3:14-16

"Mas, se tendes amarga inveja[zelos], e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. Porque onde há inveja [zelos] e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa."

A fonte da inveja e do ciúme é a carne, a natureza antiga (veja também Gálatas 5:20). Quando há ciúmes, você se alegra quando eu sofro e sofre quando eu estou alegre, muito contrário do que a Palavra de Deus ordena (1 Coríntios 12:26). Ao contrário, e uma vez que o amor não é invejoso, quando você ama, você se alegra quando eu me alegro e sofre quando eu sofro.

iv) "O amor não vangloria" (1 Coríntios 14:4)
A palavra traduzida para "vangloriar" aqui é o verbo grego "perpereuomai" que significa "mostrar-se a si mesmo um leviano e fanfarrão". É o tipo de comportamento que continuamente diz: "Eu consegui, Eu tenho, Eu fiz,...etc." A palavra “eu” é frequentemente usada por tal pessoa. Como Cristãos às vezes fazemos o mesmo. Nós dizemos: "Eu fiz para o Senhor...", "Eu tenho orado muito", "Eu gastei muito tempo estudando a Bíblia hoje, "Eu sei disto e daquilo da Bíblia" significando que sou mais digno que você e que você provavelmente não fez “tudo aquilo”. Contudo, quando amamos de fato, não nos vangloriamos, porque reconhecemos que não há nada que nos faça diferente de qualquer outro irmão ou irmã da comunidade. Conforme 1 Coríntios 4:7 diz:

1 Coríntios 4:7

"Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?"
Tudo que temos nos foi dado por Deus. Não fizemos por merecê-los. É por isso que não temos o direito de vangloriarmos em coisa alguma ou de alguém senão do Senhor. Conforme 1 Coríntios 1:31 nos diz:

1 Coríntios 1:31

"AQUELE QUE SE GLORIA GLORIE-SE NO SENHOR"

Gloriaremos-nos então de nossas habilidades, valor ou mesmo devoção? Se amamos não faremos isto. Porque, se amamos nos vangloriaremos no Senhor e Nele somente.

v) "O amor não se orgulha" (1 Coríntios 14:4)
Outra coisa que o amor não faz é se orgulhar. A palavra grega para "orgulhar-se" é o verbo "fusioo" que literalmente significa "vangloriar, esnobar, inchar". No Novo Testamente ele é usado 7 vezes, 6 delas em 1 Coríntios2. Em todos os casos ele é usado metaforicamente com o significado de orgulho. Uma característica desta palavra está em 1 Coríntios 8:1 onde lemos:

1 Coríntios 8:1-3

"Ora, no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha [fusioo], mas o amor edifica. E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber. Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele."

A ciência incha. Não estudamos a Bíblia apenas para adquirirmos ciência, mas para conhecermos a Deus que nos revela a Si mesmo na palavra. Conforme I João 4:8 diz: 

"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." Sem amor não conheceremos a Deus mesmo se formos cheios de ciência da Escritura. Mais ainda, se a ciência permanece meramente como ciência e não é acompanhada pelo amor então o resultado é a soberba, tornando-se orgulhoso, o qual é bem contrário ao que é o amor.

vi) "O amor não maltrata" (1 Coríntios 14:5)
Outra coisa que amor não faz é comportar-se "maltratar". A palavra "rudemente" aqui é o verbo grego "aschemoneo" que significa "comportar-se de maneira indecente... agir com deformidade moral". Assim por exemplo em Romanos 1:27 o erro da homossexualidade é chamado "aschemosune" (o produto de "aschemoneo"). O amor então não se porta com imoralidade ou modos impróprios, e quando tal comportamento acontece tem apenas uma fonte: O homem velho.

iv) "O amor não vangloria" (1 Coríntios 14:4)
A palavra traduzida para "vangloriar" aqui é o verbo grego "perpereuomai" que significa "mostrar-se a si mesmo um leviano e fanfarrão". É o tipo de comportamento que continuamente diz: "Eu consegui, Eu tenho, Eu fiz,...etc." A palavra “eu” é frequentemente usada por tal pessoa. Como Cristãos às vezes fazemos o mesmo. Nós dizemos: "Eu fiz para o Senhor...", "Eu tenho orado muito", "Eu gastei muito tempo estudando a Bíblia hoje, "Eu sei disto e daquilo da Bíblia" significando que sou mais digno que você e que você provavelmente não fez “tudo aquilo”. Contudo, quando amamos de fato, não nos vangloriamos, porque reconhecemos que não há nada que nos faça diferente de qualquer outro irmão ou irmã da comunidade. Conforme 1 Coríntios 4:7 diz:

1 Coríntios 4:7

"Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?"
Tudo que temos nos foi dado por Deus. Não fizemos por merecê-los. É por isso que não temos o direito de vangloriarmos em coisa alguma ou de alguém senão do Senhor. 

Conforme 1 Coríntios 1:31 nos diz:

1 Coríntios 1:31

"AQUELE QUE SE GLORIA GLORIE-SE NO SENHOR"

Gloriaremos-nos então de nossas habilidades, valor ou mesmo devoção? Se amamos não faremos isto. Porque, se amamos nos vangloriaremos no Senhor e Nele somente.

v) "O amor não se orgulha" (1 Coríntios 14:4)
Outra coisa que o amor não faz é se orgulhar. A palavra grega para "orgulhar-se" é o verbo "fusioo" que literalmente significa "vangloriar, esnobar, inchar". No Novo Testamente ele é usado 7 vezes, 6 delas em 1 Coríntios2. Em todos os casos ele é usado metaforicamente com o significado de orgulho. Uma característica desta palavra está em 1 Coríntios 8:1 onde lemos:

1 Coríntios 8:1-3

"Ora, no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha [fusioo], mas o amor edifica. E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber. Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele."

A ciência incha. Não estudamos a Bíblia apenas para adquirirmos ciência, mas para conhecermos a Deus que nos revela a Si mesmo na palavra. Conforme I João 4:8 diz: "Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." Sem amor não conheceremos a Deus mesmo se formos cheios de ciência da Escritura. Mais ainda, se a ciência permanece meramente como ciência e não é acompanhada pelo amor então o resultado é a soberba, tornando-se orgulhoso, o qual é bem contrário ao que é o amor.

vi) "O amor não maltrata" (1 Coríntios 14:5)
Outra coisa que amor não faz é comportar-se "maltratar". A palavra "rudemente" aqui é o verbo grego "aschemoneo" que significa "comportar-se de maneira indecente... agir com deformidade moral". Assim por exemplo em Romanos 1:27 o erro da homossexualidade é chamado "aschemosune" (o produto de "aschemoneo"). O amor então não se porta com imoralidade ou modos impróprios, e quando tal comportamento acontece tem apenas uma fonte: O homem velho.

vii) "O amor não busca interesses próprios" (1 Coríntios 14:5)
Algo mais que amor não faz é buscar seus próprios interesses. A frase "seus próprios" é o adjetivo grego "eautou". Existem muitos poucos lugares na Bíblia que nos instrui a não buscar nossos próprios interesses. Romanos 15:1-3 nos diz:

Romanos 15:1-3

"Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos [eautou]. Portanto cada um de nós agrade ao seu próximo no que é bom para edificação. Porque também Cristo não agradou a si mesmo [eautou], mas, como está escrito: Sobre mim caíram as injúrias dos que te injuriavam."

Também 1 Coríntios 10:23-24

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. Ninguém busque o proveito próprio; antes cada um o que é de outrem."

Quando caminhamos no amor não buscamos agradarmos a nós mesmos, fazendo de nós o centro de nossas atividades (individualismo). Ao contrário, através do servir a Deus nós buscamos agradar os outros. Foi o que Jesus Cristo fez. Ele serviu a Deus no amor e não buscou sua auto-satisfação. Por isso que ele foi até a cruz. Conforme Filipenses 2:7-11 nos diz:

Filipenses 2:7-11

"Mas [Jesus]esvaziou-se [eautou] a si mesmo [Greek: "esvaziar-se"], tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obedienteaté à morte, e morte de cruz. Por isso, [como consequência] também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai."

Jesus, por causa do amor que ele tinha por nós se esvaziou e foi à cruz por nossa culpa. Mas foi algo feito em vão que terminou em uma perda pessoal? NÃO. Ao contrário, por ele ter feito isto, Deus o EXALTOU. Da mesma forma, quando amamos colocamos de lado nossos interesses particulares, interesse de si mesmo, e damos nossa prioridade e atenção a Deus e nossos irmãos e irmãos de caminhada. Preciso deixar claro aqui que quando eu falo aqui de "interesses particulares" eu não quero dizer de nossas obrigações particulares, coisas que temos que cuidar como parte da vida. Em vez disso, estou falando mais sobre perder tempo em empreendimentos e hobbies que não trazem glória a Deus, mas apenas satisfaz a carne, o homem velho.

Ao dar prioridade não a si mesmo, mas a Deus e Seu povo o resultado não será uma perda pessoal, mas uma multidão de prêmios aqui e no céu. Conforme Cristo disse em João 12:25-26:

João 12:25-26

"Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará. "

Também Marcos 10:29-30

"Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna."

Quantos investimentos você conhece que te dá um retorno de CEM VEZES NESTE TEMPO? Exceto deixar de buscar nossos próprios interesses primeiro e buscas as coisas de Deus e de nossos irmãos e irmãs de caminhada eu não conheço nenhum. Para concluir: das duas uma, ou nos tornamos individualistas, alimentando a carne e suas vontades e perdemos tudo, ou amamos e, ao invés de cuidar primeiro de nossos próprios interesses, cuidemos das coisas de Deus e dos irmãos e irmãs de caminhada. Neste caso teremos um retorno de “cem vezes” do próprio Deus.

Continua...  

Segunda parte AQUI


Fique por dentro das novidades do blog também nas redes sociais:


Fica com Deus!
<3

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Menina Modesta. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design.