Anões na fé



Um certo domingo estava em casa chateada com algumas coisas e mais chateada ainda porque não queria ver ninguém, mas tinha que ir pro culto (sei que isso é feio, mas meu lema é sem capa). Cheguei quase no final do discipulado e sentei lá atrás, pra não ser vista por ninguém, nem ter que dar um 'sorriso amarelo'. 

Mesmo assim, ouvi as palavras da Pastora Nalva que falava de 'anões na Fé', que são aquelas pessoas que passam anos dentro da igreja, mas não desenvolvem, não saem do lugar, (neste momento, me coloquei no lugar de um anão na fé) e pessoas que acabaram de chegar no corpo e já alcançam patamares além do esperado...

Fiquei com isso na cabeça e mais chateada ainda, pois como eu sou capaz de permanecer em uma igreja a anos e não ser nada além de um número?  Que vergonha dona Bruna!  Tsc tsc tsc

Mas os dias passaram, minha chateação também. Nessa época eu estava de banco, ou seja, o que eu poderia fazer era correr atrás do prejuízo. E estava fazendo isso, mas tenho um dom incrível de me meter em encrenca e isso estava dificultando um pouco as coisas. 

A mensagem do discipulado não saia da minha mente, e eu não sabia o por quê. Aí, um dia, eu em casa, acabou a luz e acendemos velas pra poder fazer janta e poder caminhar também. E eu 'briso' muito em detalhes. Fiquei olhando para as duas velas que estavam acesas na minha frente, e do nada lembrei da mensagem.

A vela grande, para mim, representou a pessoa que está há anos na igreja fazendo parte do corpo, mas como um membro 'gangrenado', não faz nada além de ser um número (no caso, o que eu estava sendo). O tamanho dela representa os anos, o tempo e a chama, apesar do corpo longo, não ilumina, só faz sombra, sem a ajuda de outras velas, não faz efeito nenhum. Ou seja, está no corpo, mas não 'serve' pra nada. É apenas um detalhe irrelevante. 

Em compensação, a vela pequena, tinha menos de 5 cm, mas sua chama estava 'viva', radiante, iluminando. Em outras palavras, representa a pessoa que acabou de chegar no 'corpo', é um 'bebê' na fé, está no primeiro amor, mas já faz um estouro no mundo espiritual, já tem identidade, não depende do tempo ou de ocasiões, chegou e fez a diferença. 

Sempre ouvi dizer que não se deve julgar um livro pela capa, nem as pessoas pela aparência. E, essa situação, me fez crer nisso.
Não me envergonho em escrever este texto e dizer estas coisas, (na verdade, só um pouco) sei que tenho muuuito o que aprender e mudar ainda e que não será fácil meu crescimento se eu não buscar por isso com unhas e dentes. Se eu não quiser, jamais vou deixar de ser uma 'anã na fé'.
Minha oração, é que a cada dia o Senhor me ensine a crescer sem diminuir ninguém e que meu brilho não ofusque nem seja ofuscado, mas que ilumine aqueles que não conseguem enxergar. Que mesmo pequena na estatura, o brilho dEle em mim, seja o suficiente para dissipar a escuridão em que eu me permitir estar.



Fique por dentro das novidades do blog também nas redes sociais:


Fica com Deus!
<3

3 comentários:

  1. Que texto maravilhoso Bruna! Deus continue te usando para abrir os olhos de muitos !
    Bjs

    www.modernaamodaantiga.com.br

    ResponderExcluir
  2. Evelyn Souza, obrigada pelo comentário... Creio que nada seja em vão e esse texto está me fazendo perceber algumas coisas mais claramente. Incrível o modo como Deus usa nossas debilidades para nos tratar. Espero que o Menina Modesta esteja lhe ajudando muito.
    Paz Sempre :*

    ResponderExcluir
  3. Evelyn Souza, obrigada pelo comentário... Creio que nada seja em vão e esse texto está me fazendo perceber algumas coisas mais claramente. Incrível o modo como Deus usa nossas debilidades para nos tratar. Espero que o Menina Modesta esteja lhe ajudando muito.
    Paz Sempre :*

    ResponderExcluir



Menina Modesta. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design.